ELEFANTE


Para se pensar poeticamente!

 

Não existem protagonistas nesse filme. A cidade de São Paulo é o protagonista, que acolhe e ao mesmo tempo produz esses diversos acontecimentos.

Estamos no meio da mata virgem, distante muitas léguas da ação do homem e de sua capacidade de transformação da natureza. Vemos um grande morro, parcialmente arado, outro grande morro também arado, as possibilidades de organização do homem se apresentam, as plantações, a monocultura, o controle sobre a natureza, a propriedade privada.

Como extensão direta do arame farpado, a guerra e a loucura, chegamos hoje na cidade e percebemos uma verdadeira algazarra social. Entre mortos e feridos só nos resta o caos. Moderno e Capitalista, onde é cada um por si e Deus contra todos. Um enorme exército de desempregados tentando sobreviver em meio ao pão de cada dia. É fruta, é CD, walkman, cachaça, samba, celular, videogame, bang-bang e Charles Chaplin.

O grande empresário exalta as possibilidades do grande mercado mundial. As negociações financeiras, os alto escalões, a globalização, o tráfego de informações, a bolsa de valores, NASDAQ, virtualidade e conforto. Os homens parecem não mais se privarem de nada. Mas o governo, agora encarnado na prefeitura de São Paulo, é que parece se privar do poder que, civis, lhes entregamos. De acordo em acordo, os mais acordados percebem que ao invés de cidadãos se transformaram em consumidores. Cidadania agora só cabia à alma dos homens. Afinal de contas, pobre tem alma, e também é homem. E o terceiro setor com certeza estava lá para conferir. E conferiu. Só não sabia que em meio a homens com alma, também existem homens com armas. Prontos a lutar, prontos a brigar, sedentos por justiça. “É como se dizia na sagrada bíblia, é olho por olho e dente por dente”.

Assim, era muito provável que ninguém ficaria impune quanto a tudo isso. Ainda restava daquele esquecido governo, a lei, seus tentáculos e seus compromissos. Não esqueceram dos esquecidos elementos que estavam causando desequilíbrios por aí. Mas ainda assim, não bastava que só os opressores mostrassem seus dentes, era necessário mostrar que eles tinham feito escola. E os velhos oprimidos não hesitariam em exibir sua incrível capacidade de aprendizado. E aprenderam muito bem. Mas mal sabiam eles, professores e alunos da ordem, que aulas de outro calibre estavam despontando por aí. Os serrados-concretos de Brasília parecem ser grandes para isso.

 

A LUTA SÓ HAVIA COMEÇADO. É LUTA PRÁ VALER!

Por uma economia planificada e uma consciência ampliada e coletiva!



Escrito por Daniel Manzione às 16h19
[   ] [ envie esta mensagem ]




Jogo da Memória

Ideologia e utopia em trança.

***

será que não poderemos mais fazer poesia? Estamos condenados a fazer somente ciência?

***

uma estética que seja ética.

***

sonho lúcido

e

enquanto dormimos, aquilo que chamamos de eu, não existe aqui.

*** 

o plástico no mundo.

***

a deriva.

***

escultura e parquinho.

a forma lúdica.

***

*como regra do jogo é possivel modificar, acrescentar ou complementar idéias.



Escrito por espaciólogos às 08h31
[   ] [ envie esta mensagem ]




ESPACIÓLOGOS

"Entretanto, a geografia considera geralmente os lugares como formas
com vida própria, em vez de objetos sociais carregados de uma parcela
do dinamismo social total."
"é preciso fazer claramente a diferença entre aqueles que apenas dão
importância às formas, estudando assim o espaço em si mesmo- são só
'espacialistas' - e aqueles que procuram analisar o espaço nas suas
relações com a sociedade (isto é, através dos processos sociais, das
funções e das formas) - são os 'espaciólogos'."

Milton Santos -  "Pensando o Espaço do Homem"



Escrito por espaciólogos às 08h15
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  20/11/2005 a 26/11/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  30/01/2005 a 05/02/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  09/01/2005 a 15/01/2005


Outros sites
  CORINGA
  Integração Sem Posse
  MST - Movimento Sem Terra
  MSTC - Movimento Sem Teto do Centro
  FSM - Forum Social Mundial
  CORO - Coletivos em Rede
Votação
  Dê uma nota para meu blog



O que é isto?